Biografia da Autora

Camila Passatuto nasceu em 1988, na cidade de São Paulo. Autora do livro "TW: Para ler com a cabeça entre o poste e a calçada" (Editora Penalux, 2017). Escreve desde os 11 anos e começou atuar nos meios digitais, com blogs e participações em revistas digitais, em 2007. Alguns trabalhos e participações: 2010, e-book “Apenas o Necessário”, co-autora da Antologia de micro contos reunidos pela Poesis, em parceria com a ETC Bienal, Fundação Volkswagen e Governo do Estado de São Paulo; 2012, Antologia “Nossa história, nossos autores (Editora Scortecci); 2013, escritora exposta na mostra de Twiteratura no Sesc Santo Amaro.

terça-feira, 22 de junho de 2010

Jaz (Corpo Poético)

Ferida exposta.
O que jaz,
O que traz,
O que o corpo ainda suporta.

Adentrando fria
Cada centímetro
De dor, rancor,
De palavra na derme, escrita.

Verso neófito.
Verme,
Verte em nós
Arte livre em necrópole.

O que jaz,
Poeta,
É o que traz... Em ti...
Ferida, assim, imposta...

By Camila Passatuto

5 comentários:

Fabiano disse...

que poema interessantes. um jogo de palavras muito bom.

as feridas sejam elas externas ou internas carecem de tempo para cicatrizar, mas nem por isso serão eternas.

usando suas palavras: "ferida exposta... o que o corpo ainda suporta"

Análise F.C disse...

Escreve poemas de forma inteligente, muito bom.

http://analisefc.blogspot.com/

Vanessa disse...

siiim, a dor que jaz aberta e exposta o tempo cura sempre!

www.vanessafunnygirl.blogspot.com

Fabio Rocha disse...

Escreveu tudo o que evito olhar ultimamente... Bela voz. Seguirei. Bj

Walkyria Rennó Suleiman, disse...

Camila, acho que apaixonei por vc!