Biografia da Autora

Camila Passatuto nasceu em 1988, na cidade de São Paulo. Autora do livro "TW: Para ler com a cabeça entre o poste e a calçada" (Editora Penalux, 2017). Escreve desde os 11 anos e começou atuar nos meios digitais, com blogs e participações em revistas digitais, em 2007. Alguns trabalhos e participações: 2010, e-book “Apenas o Necessário”, co-autora da Antologia de micro contos reunidos pela Poesis, em parceria com a ETC Bienal, Fundação Volkswagen e Governo do Estado de São Paulo; 2012, Antologia “Nossa história, nossos autores (Editora Scortecci); 2013, escritora exposta na mostra de Twiteratura no Sesc Santo Amaro.

quinta-feira, 13 de março de 2008

dia-a-dia

Sentou, pegou uma caneta preta e uma folha qualquer, decidiu escrever algo que fosse deprimente, logo se viu rodando por palavras de rasos sentimentos, o olhar percorria as linhas pautadas na folha, sua inspiração não podia ser mais a mesma alma quebrada de todos os antigos poemas, agora vivia em tempos de garoa calma e de algodões doces, sua escrita sairia mansa e tímida, se conhecia muito bem a ponto de não poder falar sobre si mesmo nos textos. Ainda com a folha em branco e a caneta acomodada sensualmente no canto da boca, uma explosão de pensamentos consumia a pobre criatura, por onde começar? Que ritmo tomar? Que musa roubar...? Odiava as rimas, achava-as de um pobre gosto literário, só se permitia rimar em silêncio.
O barulho alucinante de uma buzina soava do outro lado da rua, isso desviava seus pensamentos, mas num instante impreciso rabiscou algumas palavras, olhou-as com carinho, como uma mãe mira um filho ao chegar, passou os dedos sobre o papel como se tirasse a poeira chata do orgulho artístico, sem mais enrolação deixou o papel de lado e caiu assimetricamente na cama, suas mãos que a pouco se dedicavam a arte de escrever agora tomava um rumo incerto percorrendo sua pele, deslizando em suas curvas e se colocando à serviço da distração.
Após um tempo, sentou-se, pegou a mesma caneta preta e um papel qualquer...Era hora de começar a ser poetisa novamente...


By Camila Passatuto

Bloqueando a seleção de texto em um site


15 comentários:

Yeda disse...

Parabéns pelo texto.


A medida que ia lendo ia me encantando e me identificando.


Vc escreve muito bem


Obrigada pelo comentário em meu blog e volte sempre!



http://recantodeyeda.blogspot.com/

Zanfa disse...

Realmente muito bem escrito, parabéns. =)

Flavitcho disse...

Realmente muito bem escrito, parabéns. =)[2]

Inspiração pode vir de qualquer lado, a gente só precisa tá pronto pra perceber. =]

Adorei!

=D

Isabela disse...

Excelente texto, você escreve muito bem, parabéns!

Não sei de onde pessoas como você e outros blogueiros tiram inspiração pra esse tipo de texto. rsrsrs

Rafael Puime disse...

Compro o livro aonde?
Muito bom!
:D

Beijoos!

Mayna disse...

Gostei do blog e do texto!
Parabéns!
http://maynabuco.blogspot.com

o'Ricci disse...

e quando a poetiza fiará suas efemeridades?

Dannyell disse...

lindooo

queria agradecer a sua visita e seu comentario, peço que volte mais vezes

vc escreve muito bem, brinca com as palavras, nao eh besteira, mas nem todos conseguem isso

parabens

bjos

Laís Dons't Give Up disse...

Nossa muito bom esse Blog!
Gostei realmente do que ela escreveu!
Estais de parabéns!

Everaldo Ygor disse...

Olá...
A escrita tem sentimentos, vida como poemas intensos, ritmo e som, podem até levar para outros mundos... Outras dimensões como a sua ai... No tempo ou dominio dos sonhos, dos pensamentos internos.
Enfim um belo texto, com a intensidade de Ser poeta novamente, renascer nas letras todas - sendo que nunca deixou de Ser...
Ótimo
Abraços
Everaldo Ygor
http://outrasandancas.blogspot.com/

Alexander Bastos disse...

essa parte foi 10 hein

(...suas mãos que a pouco se dedicavam a arte de escrever agora tomava um rumo incerto percorrendo sua pele, deslizando em suas curvas e se colocando à serviço da distração.)

lindinha e ainda inteligente, uma combinação não muito comum



www.blogdospiratas.org

Naiara disse...

Gostei do blog; delicado.

Bom, creio que alguns momentos o melhor a se fazer é deixar a caneta de lado... Nem sempre a inspiração é para a escrita ;)

Euzer Lopes disse...

Encantador
Envolvente
Sedutor
Mágico
Um belo texto!
Uma grande escritora!

blog disse...

Bom texto: a metalinuagem é mesmo uma marca pós-moderna.
Impressionante como se vê essa reflexão profunda sobre o que é a escrita, sobre o ato de criar, etc.

Gostei de verdade.
Sensibilidade posta à prova. Mas aí vai um toque (numa boa): mais cuidado com a gramática.

Abraços, menina.

blog disse...

A propósito, esqueci-me: quando puder, faça uma visita a

www.movieantiqua.blogspot.com

São contos.
Valeu.