Biografia da Autora

Camila Passatuto nasceu em 1988, na cidade de São Paulo. Autora do livro "TW: Para ler com a cabeça entre o poste e a calçada" (Editora Penalux, 2017). Escreve desde os 11 anos e começou atuar nos meios digitais, com blogs e participações em revistas digitais, em 2007. Alguns trabalhos e participações: 2010, e-book “Apenas o Necessário”, co-autora da Antologia de micro contos reunidos pela Poesis, em parceria com a ETC Bienal, Fundação Volkswagen e Governo do Estado de São Paulo; 2012, Antologia “Nossa história, nossos autores (Editora Scortecci); 2013, escritora exposta na mostra de Twiteratura no Sesc Santo Amaro.

quarta-feira, 19 de março de 2014

Brasilis

Acabou a comida
Meus pés, minha paz.

Ao fundo
Homens marcham
Ao som de tristeza,

Morreu mais um
Esmero em suma
Vicinal calada.

O dono da vida,
De ouro de pedra,
Mandou ter cautela

Ministrar o medo
Encolher as revoltas
Matar as crianças
Estuprar tuas pernas.

Acabou a comida
Meu Deus, minha vida.

Ao mundo
Dançamos
Sem colete e liberdade

Soldados
De mente medular.

Socorre o verbo

Para libertar,
espancada,
A Nacional Castidade.

By Camila Passatuto

2 comentários:

Antônio LaCarne disse...

"acabou a comida, meu deus, a minha vida". teu poema mexeu comigo, acredite. e é tão bom se deparar com poemas legais.

Gabriel disse...

Palavras fortes neste poema, tive visões, cidades pós-guerra, pudor, soldados...

Como é gostoso ler e imaginar coisas, foi o que este poema fez comigo.

Parabéns senhorita Camila ;)