Biografia da Autora

Camila Passatuto nasceu em 1988, na cidade de São Paulo. Escreve desde os 11 anos e começou atuar nos meios digitais, com blogs e participações em revistas digitais, em 2007. Alguns trabalhos e participações: 2010, e-book “Apenas o Necessário”, co-autora da Antologia de micro contos reunidos pela Poesis, em parceria com a ETC Bienal, Fundação Volkswagen e Governo do Estado de São Paulo; 2012, Antologia “Nossa história, nossos autores (Editora Scortecci); 2013, escritora exposta na mostra de Twiteratura no Sesc Santo Amaro.

terça-feira, 12 de junho de 2012

Do que é mero e denso


Muros que me seguem,
Portanto, pulo e risos.

A preguiça tenta tomar conta
Ignoro as condições decassílabas
Penso em suas listras em mim.

Do outro lado do meu lado
Em uma vila qualquer
Deve queimar um cigarro
Implorando em malmequer.

(Crisântemos na janela)

Erros que te ferem,
Portanto, susto e grilos.

Eu tentei uma geração
Perturbei o sino da igreja
Recitei o mais alto verso
Que caiu por ti. Hoje,
Pro alto, arremesso...

Narro hora um talvez
De escritora pedinte,
Jovem alarme
E vida, talvez uísque...
Suspiro liberdade
E nos braços
Criança morta
Tatuada de passado.

Alinho meus textos
Em poesia sem rima
Moderna que não sou
Soou para eles
A revolta em paz
Que no futuro
Os matou.

E chegam os comprimidos
Que retardam minha mente
Mas a alma pula
Salta papel
Faz dos críticos
Meros dementes.

Da loucura.

Muros que me cercam,
Portanto, pulo e curto.

By Camila Passatuto

quarta-feira, 6 de junho de 2012

Das pausas urbanas I

Ás vezes sinto falta de tinta na parede. E sem entender os transeuntes e seus baldes cheios, mancho a cidade com o meu vermelho de dentro - e rupestre que sou - desenho meu animal da alma, pingos e rabiscos assim te tinto, sem piedade do cinza que te faz... e me sirvo em tela murada... é que às vezes sinto falta de tinta na vida.

By Camila Passatuto

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Criança

Não entendo quase nada do que é, mas faminto que sou, das verdades que invento, compreendo os ventos... os que me arrastam sem o porquê de destinos e desvarios.

By Camila Passatuto