Biografia da Autora

Camila Passatuto nasceu em 1988, na cidade de São Paulo. Autora do livro "TW: Para ler com a cabeça entre o poste e a calçada" (Editora Penalux, 2017). Escreve desde os 11 anos e começou atuar nos meios digitais, com blogs e participações em revistas digitais, em 2007. Alguns trabalhos e participações: 2010, e-book “Apenas o Necessário”, co-autora da Antologia de micro contos reunidos pela Poesis, em parceria com a ETC Bienal, Fundação Volkswagen e Governo do Estado de São Paulo; 2012, Antologia “Nossa história, nossos autores (Editora Scortecci); 2013, escritora exposta na mostra de Twiteratura no Sesc Santo Amaro.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Fracasso Moderno.

Permaneço imparcial,

Mas o que são parcelas?

O cartão venceu

Nas contas exatas.


O telefone toca,

Mais uma

Cobrança.

Exigência nossa.


Permaneço imparcial.

Os passos longos.

O corpo se movendo,

Cálido.


No chão mais um menino.

Permaneço espacial, olho.

Moedas, moelas... Tanto faz.

Ofereço de carinho breve.


Voltei para casa.

Juntei alguma riqueza,

Paguei as parcelas.

Mas falta o amor em minha mesa.


Acordo atordoado

Atrasei, acordei.

O mundo cinza

Exige polidez.


Hora do trabalho

Do que vale meu centavo?

Permaneço mais escravo.

Moedas, moelas... Escasso.


No chão mais um menino

Permaneço mais cansado

Ofereço de carinho breve

A rotina de vassalo.


Em casa o banho quente,

Masturbação não contente.

As contas, ponta de lápis,

Dias sem te ver, fico exigente.


O cartão venceu

Nas contas exatas.

No natal mando outro

Vai ler quando durmo nas escadas.


Da sacada de princesa

O ouro de mendigo

A realidade desse pobre

É cada verso que aqui digo.


Sem dinheiro, sem sonhos.

A fortuna é rasa,

Forma limites...

Expulsou-me de casa.


Permaneço louco vadio,

Na porta de algum banco,

Deitado em tímido canto.

Quando passa, peço um mango.


Olha sem jeito, reconhece tal sujeito.

Os lábios são os mesmos, desejos.

Moeda é o que joga no chão, agradeço.

Oferece de valor breve o que um dia não tinha preço.



By Camila Passatuto

4 comentários:

Inez disse...

Lindo!
Não tenho palavras para fazer um comentária a altura do texto.
Parabéns.

♫ Angélica ♥ Kawai ♪ disse...

Nossa.. òtimo...fiquei com vergonha de mim mesma agora...
Otimo poema! me tocou...

romanholi disse...

Olá Camila, ventos desconhecidos me troxeram aqui e em versos tomei repouso.Gostei muito. Vc tem um jeito ligeiro em suas poesias, acabam por ser leves ao olhos dexando para ser marcantes pelas palavras escolhidas parabens, estou começando um blog tb( por puro diletantismo mesmo) voltarei aki outras veses com certeza em busca dessa leveza, que me é estranha ainda na escrita... li este e outros todos muito boms : )
beijos

jpintofernandes disse...

Olá Camila, ventos desconhecidos me troxeram aqui e em versos tomei repouso.Gostei muito. Vc tem um jeito ligeiro em suas poesias, acabam por ser leves ao olhos dexando para ser marcantes pelas palavras escolhidas parabens, estou começando um blog tb( por puro diletantismo mesmo) voltarei aki outras veses com certeza em busca dessa leveza, que me é estranha ainda na escrita... li este e outros todos muito boms : )
beijos