Biografia da Autora

Camila Passatuto nasceu em 1988, na cidade de São Paulo. Autora do livro "TW: Para ler com a cabeça entre o poste e a calçada" (Editora Penalux, 2017). Escreve desde os 11 anos e começou atuar nos meios digitais, com blogs e participações em revistas digitais, em 2007. Alguns trabalhos e participações: 2010, e-book “Apenas o Necessário”, co-autora da Antologia de micro contos reunidos pela Poesis, em parceria com a ETC Bienal, Fundação Volkswagen e Governo do Estado de São Paulo; 2012, Antologia “Nossa história, nossos autores (Editora Scortecci); 2013, escritora exposta na mostra de Twiteratura no Sesc Santo Amaro.

domingo, 6 de junho de 2010

Poeminha Feio

Vou ser simples em meus versos,

Vou ser o que estou... Verso triste.

Um pedaço de saudade, verso livre.

Um imenso de amor, verso, verso...


Tanta coisa para falar,

Mas quer silêncio.

Sou de som,

Sou de falar quando estou triste.


E o verso fica descabido no poema

Fica feio

Fica como estou

Jogado e assustado.


Não tem rima, não.

É simplicidade de poema.

Não tem forma.

É conteúdo triste de poeta.


Ah! Eu devo gritar por você,

Pedir aos deuses algum licor.

Clamar o quê? Nada mais de dor?

Fica feio...


Vou caminhando em versos simples

Sem métrica

Sem nada de pensar

É só sentimento... É amar.


Fica feio,

Devo por arreio nisso tudo.

Mas talvez depois...

Quando isso em mim se for.


E se o verso fica descabido,

O que cabe a mim?

Digo que sofro?

Mas fica feio...


Chama poeta de chorador

Inventor de palavras

Dramático velho

Desajeitado sonhador.


E assim vou

Triste, desbravador e assumido

E assim fico

Feio, meio ao meio... Esperando abrigo.



By Camila Passatuto

Nenhum comentário: