Biografia da Autora

Camila Passatuto nasceu em 1988, na cidade de São Paulo. Autora do livro "TW: Para ler com a cabeça entre o poste e a calçada" (Editora Penalux, 2017). Escreve desde os 11 anos e começou atuar nos meios digitais, com blogs e participações em revistas digitais, em 2007. Alguns trabalhos e participações: 2010, e-book “Apenas o Necessário”, co-autora da Antologia de micro contos reunidos pela Poesis, em parceria com a ETC Bienal, Fundação Volkswagen e Governo do Estado de São Paulo; 2012, Antologia “Nossa história, nossos autores (Editora Scortecci); 2013, escritora exposta na mostra de Twiteratura no Sesc Santo Amaro.

sábado, 7 de novembro de 2009

La Paix


Parem de atirar, eu não suporto
Tanto barulho para pouco sangue
Parem de atirar, é que eu não gosto
Tanto orgulho aqui para pouco acaso

Parem de tentar, eu sei que é não
Tanto sonho para uma linda agonia
Parem de fugir, eu quero mais perto
Tanto de vazio para um corpo cheio

Parem de ser assim, é que preciso ser eu
Tanto rumor de felicidade para uma tristeza
Parem de tirar, eu preciso de muito e agora
Tanto se pede para alguém que nada escuta.

Parem de me matar, é que dói
Tanto chorei ontem à noite...
Parem de mentir, é que fere
E tanto morri por hoje.

By Camila Passatuto

17 comentários:

Dobrinhas disse...

Nuss foi você quem fez. ^^
Parabéns você escreve muito bem.

Inez disse...

Belo poema, parece-me um pedido de socorro com palavras bem colocadas.

Marcelo A. disse...

Putz, muito bacana!

Ei, já pensou em musicar?!

Carla disse...

gostei, você escreve bem...ficaria bom pra uma musica! (:

Thâmara Cristina disse...

Nossa, muito bom mesmo!amei!

Rafael Watanabe disse...

Em primeiro lugar, obrigado pelo comentário. Que bom que gostou.
Em segundo lugar, ví que você também é estudante de publicidade... Bate ae O/
Em terceiro, um poema cheio de significados, o seu, que também me parece um pedido de socorro (que muitos dão, de varias formas, e que eu ja cansei de dar). Só me ficou vago qual era o motivo, mas acho que não era a sua intenção nos definir um (?)

Carol Gressler disse...

Adoro os teus blogs, e tu tens um futuro maravilhoso se investir na carreira de escritora..obg pela visita no entulhomentaldacarol ;)

Marcus disse...

Muito legal o poema, parabéns!

André Varnier Balarini disse...

Vamos atirar até vc cair
vamos machucar até não doer mais
vamos moer
vamos moer...

nós, outros, de outra forma, diferente...

iti disse...

o legal é morrer de susto.
hahaha
http://www.maquinazero.com.br/blog/

Bandeira disse...

formmou um clima de medo aqui kkkk
mais gostei bastente

Débora Francis disse...

Nossa, belíssimo o que escreveu querida!
Para mim, um pedido de socorro sim, mas contra toda e qualquer tipo de mentira e hipocresia presentes em nossa vida!

Parabéns por este ótimo post. Adorei.
Beijo

caixapretasm disse...

A Caixa Preta acaba de indicar seu blog para 5 selos.
Para saber mais, acesse:
http://caixapretasm.blogspot.com/2009/11/pseudo-mega-selinhos.html
...
Sammy

Marcelo Leite disse...

Bela lição!
Vale ser divulgada. Abraços.

Deane disse...

Uau...

"Parem de me matar, é que dói"

Parabéns moça, escreves muito bem!

Abraço!

Bandeira disse...

muito bom parabenss
que poema " assassino"""

*** I.C *** ** The One ** disse...

O Parem de matar é que dói foi o mais profundo do poema... Gostei bastante... Tá de Parabéns