Biografia da Autora

Camila Passatuto nasceu em 1988, na cidade de São Paulo. Autora do livro "TW: Para ler com a cabeça entre o poste e a calçada" (Editora Penalux, 2017). Escreve desde os 11 anos e começou atuar nos meios digitais, com blogs e participações em revistas digitais, em 2007. Alguns trabalhos e participações: 2010, e-book “Apenas o Necessário”, co-autora da Antologia de micro contos reunidos pela Poesis, em parceria com a ETC Bienal, Fundação Volkswagen e Governo do Estado de São Paulo; 2012, Antologia “Nossa história, nossos autores (Editora Scortecci); 2013, escritora exposta na mostra de Twiteratura no Sesc Santo Amaro.

domingo, 9 de março de 2008

Rumo ao...

Espiou pela fechadura o que se passava lá fora, era um dia úmido e calmo demais para ser o seu dia, talvez o calendário seja do ano retrasado e hoje não seja exatamente hoje, mas mesmo assim o relógio marcava a despedida e o empurrava em um abismo calmo e claro... Olhou ao seu redor e seus objetos diziam adeus com a imobilidade de quem perde uma partida de xadrez, as paredes não se mostravam tão insignificantes como a tempos atrás, hoje elas o olhavam com tristeza e ao mesmo tempo com uma cumplicidade...só elas sabiam... como se calar diante de tais crimes...
Malas prontas e uma pontinha falsa de orgulho que o tirava dali o mais depressa possível, sem olhar para o que estava deixando, seguiu firme pela rua, pensou em tudo o que fizera até ali, questionou se o que cometera no passado tinha válido de algo para o seu tão presente futuro, relembrou de momentos de falsa alegria e se surpreendeu consigo mesmo, tivera a força de um leão sendo apenas um canarinho sem ninho...Hoje o leão deveria aparecer e devorar sem dó o pequeno canário...
Ao se acomodar no ônibus de viagem e sentir o motor rugir, sua alma deu um salto que quase se escapuliu de seu corpo, seus olhos fixaram uma imagem de poucos minutos atrás, o sentimento que se descobriu ali foi o do mais fútil possível, não conseguia pensar em outra coisa a não ser naquela imagem...Nada mais o importava naquele instante, malas, adeus, paredes, crimes, passado ou futuro...Nada se comparava ao que acontecera a minutos atrás....Com toda aquela confusão ele se esquecera de pegar sua coca-cola que já tinha deixado paga no barzinho da rodoviária...Sem mais o que fazer, fechou os olhos e num suspiro bobo e mal feito deixou transparecer um sorriso de criança que espera sem sono o seu primeiro dia de aula.

By Camila Passatuto

18 comentários:

Gir disse...

que descrição magnifica!
belo texto, bem escrito, com as descrições que nos fazem imaginar totalmente a cena e todo o sentimento que ela nos faz sentir...


Parabéns!

Aline Dias disse...

Sabe que eu acho muito legal esse tipo de texto que � turbilh�o de sentimentos.
Acho t�o t�o legal!
gosto muito mesmo.

www.msbatataquente.blogspot.com
www.alinedias.blogspot.com

gabi disse...

SEm palavras textos profundos!
beijo ;*

abutre236 disse...

Esse tipo de texto é muito mais interessante que os de poemas e poesia que encontro em outros blogs.
Parabéns. Você é uma escritora!!!

Uma escritora rumo...

Felipe disse...

Muuito bom o texto mesmo, parabens

NANA disse...

Como disse abutre, esse tipo de texto é bem melhor que algumas poesias.
Bjs.!


http://noticias-irrelevantes.blogspot.com/

Euzer Lopes disse...

Eu espera tudo para o final, menos que seria uma viagem à escola...
Por isso mesmo foi muito bom.
Adoro estas surpresas!

Neto Morais disse...

Que alívio hein...
Muito bom!! Só isso!!

Lucas Conrado disse...

Oi Camila, tudo bem?
Obrigado pelo comentário. Eu também pensei várias e várias vezes que o rapaz que curte Star Wars havia encontrado a garota ideal...

Uai, pensei que ele tinha brigado com alguém que amava, ou que havia perdido algo ou alguém muito importante...
hehehehehe
são legais esses textos que a gente imagina um final e quando vai ver é totalmente diferente!

grande beijo!

Tiago Paim disse...

TNossa! Menina...
Vc escreve mto bem mesmo!!!!
Parabéns!!!!

Fábio Buchecha disse...

Pena que ele ficou sem a coca-cola =]

Sobre o que você comentou, é exatamente aquilo. Justiça com os pobres é o nome ideal, pois pagar aquela fortuna pelos progrmaas é extorsivo, até.

___________________________________
TemPraQuemQuer <<< Entra!

Renata disse...

Muito bom!
Achei triste no começo... heheh
Não esperava pelo final
Bjocas

natalia disse...

ola! mto legal seu blog, seus textos sao otimos, esta de parabens!!

o'Ricci disse...

ficou tocando "Wide open Road" do Johnny Cash na minha cabeça durante toda a leitura do texto... très bien!

D. Amnésia o.O disse...

Poxaa
Parabéns!
Boas colocações de idéias, mto bom o texto!

dika disse...

Além do texto, a imagem que você colocou me deixou um bom tempo observando, com vários significados... ele parte. E o final, impressionante como você consegue dar sentidos variados de interpretação aos seus textos.
Fez passar um filme e ao mesmo tempo uma propaganda em mente rsrs
Adorei! Você vai levar a sério esse lance de contos né? =D
_

Adriana Lima

Yeda disse...

Fiquei encantada com a maneira como narrou e descreveu esse texto.

Parabéns pelo blog!


visite-me:


http://recantodeyeda.blogspot.com/

Henrique Felippe disse...

Um texto sublime e com um final arrebatador... Parabéns...

Beijos e boa noite,
Henrique
Vai Vendo...